Análise SWOT | Como ferramenta para compreender a realidade de sua empresa e construir entendimentos de cenários externos

Análise SWOT | Como ferramenta para compreender a realidade de sua empresa e construir entendimentos de cenários externos

Uma ferramenta comumente utilizada pelas empresas para o estabelecimento da realidade sobre sua situação e algumas de suas principais questões-chave é a Análise Swot.

A título de informação inicial, muito embora haja uma corrente teórica que limite o uso desta ferramenta na construção de estratégias, destacamos que, para a presente discussão, seu uso é considerado viável, dentro de algumas características aceitáveis, para a composição de estratégias por parte das empresas.

Swot é uma sigla derivada das palavras Strenghts (forças ou pontos fortes), Weaknesses (fraquezas ou pontos fracos), Opportunities (oportunidades para o negócio) e Threats (ameaças também qualificadas para o negócio).

Uma das vantagens para sua adoção é a facilidade de construção e compreensão. Isto, no entanto, não significa que ela não tenha uma base conceitual sólida, dentre as quais destacamos as contribuições específicas dadas por Kenneth R. Andrews (1916-2005), professor da Harvard Business School, entre 1946 a 1986.

As forças e fraquezas da Análise Swot são fatores de origem interna, correspondentes a variáveis controláveis, ao passo que as oportunidades e ameaças, por sua vez, são variáveis incontroláveis, ou seja, não há controle por parte das empresas a elas.

No intuito de que você tenha uma melhor compreensão sobre seu modelo e forma como está estruturada, apresentamos abaixo a Figura 1 para tanto.

 

 Fatores Positivos

Fatores Negativos

 

Fatores Internos

STRENGHTS

Forças

WEAKNESS

Fraquezas

 

Fatores Externos

OPPORTUNITIES

Oportunidades

THREATS

Ameaças

Figura 1 – Modelo estruturado da Análise Swot

Fonte: Adaptado de conteúdo disponível na Internet (2022)

Para aplicá-la em sua empresa, independente de porte, segmento e atuação de seu negócio, há necessidade de cumprir com alguns procedimentos, que você precisa saber e fazer:

1- Selecionar, de maneira bem criteriosa, um conjunto de itens (na quantidade julgada como adequada por você) que compõem os seguintes elementos:

  1. Forças da empresa: vantagens competitivas e diferenciais;
  2. Fraquezas da empresa: desvantagens, na mesma medida.

Observação: lembre-se que tais itens são de natureza interna (controláveis).

2- Selecionar, também de maneira bem criteriosa, um conjunto de itens (na mesma quantidade indicada acima) que compõem as oportunidades e ameaças, resultantes de fatores externos (incontroláveis). Sua articulação se complementa com a Análise Pestel, apresentada aqui, um pouco mais adiante.

3-  Distribuir os itens apresentados em cada um dos quadrantes correspondentes, conforme modelo estruturado que foi apresentado na Figura 1.

Ao fazer isto, refletia sobre a situação interna da empresa, sempre com um olhar que permita criar e fortalecer os pontos fortes identificados, buscando reduzir os pontos fracos em itens específicos, uma vez que é difícil eliminá-los em sua totalidade.

Ainda sobre os pontos fortes, entenda como aqueles itens que dão um diferencial em relação aos concorrentes e que são, em geral, uma exclusividade de sua empresa, ou seja, algo que ela realiza com excelência ou apenas ela oferece ao mercado, por exemplo.

Quanto aos pontos fracos, compreenda-os como oportunidades de melhoria que existem em sua empresa. Procure ser realista com a situação e os fatos diante da necessidade de reconhecer que elas existem, devem ser apontadas e objeto constante de trabalho.

Tanto na identificação dos pontos fortes como dos pontos fracos uma recomendação é envolver os clientes neste processo, principalmente quando eles são contextualizados no centro do negócio e das estratégias; é igualmente recomendável providenciar comparações sensatas com os concorrentes, em pontos específicos definidos para tanto.

Na sequência, trabalhando-se com as oportunidades, o sentido é sempre de aproveitá-las, pautando a aplicação dos pontos fortes. Lembre-se, no entanto, que nem todos estes itens são oportunidades, de maneira que seus apontamentos devem ser consequências de análises criteriosas de estabelecimento.

Quanto às ameaças, a perspectiva é de defesa e redução, tendo em vista as limitações em eliminá-las.

Oportunidades e ameaças podem estar contextualizadas por meio de uma Análise Pestel, que compreende aspectos políticos, econômicos, sociais, tecnológicos, ecológicos e legais, caracterizando uma palavra comumente usada na área de negócios.

Note que a palavra Pestel é composta exatamente pelas letras iniciais de cada uma das palavras indicadas, compondo a compreensão de seu sentido e aplicação.

Caso você deseje saber mais sobre o assunto, recomendamos uma leitura do assunto em quaisquer livros de Marketing ou de Estratégicas, com destaque às seguintes publicações:

ANDREWS, Kenneth R. O conceito de estratégia empresarial. IN: MINTZBERG, H.; QUINN, J. B. O processo da estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

__________________ The Concept of Corporate Strategy. Homewood, IL: Dow JonesIrwin, 1971.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin L. Administração de Marketing. 14. ed. São Paulo: Pearson, 2019

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, Bruce; LAMPEL, Joshep. Safari de estratégia. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.


Carlos Alberto Zem é bacharel em Administração (Unimep), especialista em Administração de Marketing (INPG), Mestre em Administração (Unimep), especialista em Varejo e Mercado de Consumo (USP-Esalq) e especialista em Marketing (USP-Esalq). Atua também com serviços de consultoria em Marketing Estratégico. É professor universitário em instituições como PUC-Campinas, Senac – Campus Águas de São Pedro, Faculdade de Tecnologia de Piracicaba (Fatep), Universidade Anhembi-Morumbi (Campus Piracicaba) e Faculdade Pecege, além de orientar trabalhos de conclusão de cursos de MBAs da USP-Esalq-Pecege.

Moedas - 28/06/2022 17:52:05
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,265
  • 5,266
  • Paralelo
  • 4,950
  • 5,470
  • Turismo
  • 5,140
  • 5,460
  • Euro
  • 5,540
  • 5,541
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 5,500
  • 5,502
  • Libra
  • 6,413
  • 6,419
  • Ouro
  • 306,380
  •  
Mensal - 21/06/2022
  • Índices
  • abr/22
  • mai/22
  • Inpc/Ibge
  • 1,04
  • 0,45
  • Ipc/Fipe
  • 1,62
  • 0,42
  • Ipc/Fgv
  • 1,08
  • 0,50
  • Igp-m/Fgv
  • 1,41
  • 0,52
  • Igp-di/Fgv
  • 0,41
  • 0,69
  • Selic
  • 0,83
  • 0,83
  • Poupança
  • 0,56
  • 0,67
  • TJLP
  • 6,08
  • 6,82
  • TR
  • 0,06
  • 0,17
  • 30/Junho/2022 – 5ª Feira.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral.
  • IRPJ | Renda variável.
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos.
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física.
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal.
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut | Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB).
  • IRPF | Quota.
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias.
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie.
  • Operações com criptoativos.
  • Declaração Anual do Simples Nacional | DASN-Simei.
  • Contribuição sindical | Empregados